Sábio Viajante - BEM VINDO!

Translate to Bulgarian Translate to Simplified Chinese Translate to Traditional Chinese Translate to Croatian Translate to Czech Translate to Danish TTranslate to Dutch Translate to English Translate to Finnish Translate to French Translate to German Translate to Greek Translate to Hindi Translate to Italian Translate to Japanese Translate to Korean Translate to Norwegian Translate to Polish Translate to Portuguese Translate to Romanian Translate to Russian Translate to Spanish Translate to Swedish

Somos

Minha foto
Universo, Brazil
Mulheres que dançam, tecem e trançam suas vidas, vidas de quem amam... Somos Mulheres que acreditam no Ser Humano, no Amor, na Justiça Divina e dos homens, na Igualdade, no Respeito sem demagogia. Ao darmos as mãos, unimos muito mais do que sonhos, desejos e energias em um Círculo Universal... UNIDAS SOMOS UM CORAÇÃO BATENDO FORTE COMO UM TAMBOR...

domingo, outubro 07, 2012

Outubro = Halloween


Halloween, comemorado no dia 31 de outubro de todos os anos, tem sua origem com os celtas, antigos povoadores da Europa Oriental, Ocidental e Ásia Menor. Entre eles habitavam os druidas (magos), adoradores do carvalho e do visco. A noite de Halloween era muito importante, porque era considerada véspera de Ano Novo. Na ilha de Man, um dos redutos em que a língua e folclore celtas resistiram ao sítio dos invasores saxões, o 1 de novembro (calendário antigo), era considerado como o dia do Ano Novo, até épocas recentes. Assim, os mascarados de Man costumavam sair às ruas nesta festividade, cantando na linguagem de Man, uma espécie de canção de Hogmanay (ANO NOVO) que começava assim:

- “Hoje é dia de Ano Novo, Hogunnaa!”
Não só entre os celtas, mas também por toda a Europa, o Halloween, a noite que marca a transição do outono para o inverno, parece ter sido, antigamente, a época do ano em que as almas dos mortos revisitavam seus velhos lares para se aquecerem junto ao fogo e se reconfortarem com as homenagens que lhes eram prestadas, na cozinha e na sala, pelos afetuosos parentes. Talvez fosse natural ocorrer-lhes que a aproximação do inverno trazia as pobres almas famintas e trêmulas dos campos nus e das florestas sem folhas para o abrigo das casas e o calor de suas lareiras familiares.
Mas não eram apenas as almas dos mortos que deviam pairar, invisíveis, no dia “em que o outono ao inverno entrega o pálido ano”. As bruxas esmeravam-se em seus atos malignos, algumas cruzando os ares em suas vassouras, outras galopando pelas estradas montadas em gatos pretos que, naquela noite, se transformavam em cavalos negros como carvão. Também as fadas andavam soltas e duendes de todos os tipos vagavam livremente.
Nas regiões celtas, o Halloween parece ter sido a grande época do ano para se prever o futuro. Todos os tipos de advinhações eram postos em prática naquela noite. Lemos que Dathi, rei da Irlanda no século V, estando no monte dos Druidas (Cnoc-nan-druad), no condado de Sligo, durante a festa de Halloween, mandou que seu druida lhe previsse o futuro, entre aquele dia e o próximo ano. O druida passou a noite no alto de uma colina e, na manhã seguinte, fez a previsão ao rei que se tornou realidade. No País de Gales a festa do Halloween era a mais estranha de todas as “Teir Nos Ysbrydion”, ou “Três Noites dos Espíritos”, quando o vento, “soprando sobre os pés dos cadáveres”, levava suspiros às casas dos que deviam morrer naquele ano. Acreditava-se que, se, naquela noite, alguém saísse até uma encruzilhada e escutasse o vento, ficaria sabendo das coisas mais importantes que deveriam acontecer nos próximos doze meses.
Mas Halloween é conhecido também, pelos pagãos por Samhaim, e embora seja considerado um tempo de morte, é também de renascimento, simbolizado por um raminho no Riual de Samhaim. É esta a época, em que os véus entre os mundos se tornam tênues e o espaço e o tempo tornam-se fluidos. Esta é a melhor época para estabelecer contado com a Deusa e o Deus.
O Oráculo da Morte é uma prática tradicional em Samhaim. Os participantes tiram a sorte para decidir quem agirá como Oráculo. A pessoa escolhida senta-se em um canto escuro e quieto, responde as perguntas sobre o futuro. A idéia é que a Morte já saiba a resposta.
Um outro costume na noite de Halloween é a Ceia dos Mudos. Uma festa para os espíritos da terra, tais como ancestrais, divindades, fadas e elementares. Os pratos devem estar cheios com alimentos e bebidas e colocados no lado de fora da porta à noite. Três velas vermelhas são colocadas ao redor dos pratos, acesas e deixadas ali para queimar durante a noite. Qualquer alimento ou bebida que sobrar pela manhã é colocado na Terra e oferecido à Deusa.
Para os Druidas Celtas, o espírito de uma pessoa reside na cabeça, daí então o conceito de cabeça sagrada. A lanterna tipo cabeça de abóbora simboliza este conceito. A vela acesa dentro da abóbora representa o espírito vivo ou “awen”.
Quando os povos celtas se cristianizaram, nem todos os costumes pagãos foram renunciados. Podemos dizer que o paganismo e o cristianismo se mesclaram. Não há coincidência entre a festa pagã e a festa cristã de Todos os Santos e a dos Finados, que é no dia seguinte.
A festa em honra de Todos os Santos, inicialmente se celebrava em 13 de maio, mas o Papa Gregório II (741 d.C.), foi quem a trocou esta data para 1 de Novembro, que era o dia da “Dedicação” da Capela de Todos os Santos na Basílica de São Pedro em Roma.
Mais tarde, no ano de 840, o Papa Greogorio VI ordenou que a Festa de “Todos os Santos”, deveria ser celebrada universalmente. Como um cerimônial mais amplo, tinha uma celebração vespertina com a “vigília” para preparar a festa (31 de outubro). Esta vigília vespertina do dia anterior a Festa de “Todos os Santos”, dentro da cultura inglesa se chamava: “All Hallow’s Even” (Vigília de Todos os Santos).
Com o passar do tempo, passou-se a se chamar “All Hallowed Eve”, posteriormente trocou para “All Hallow Even” para terminar com a palavra que conhecemos hoje “Halloween”. Entretanto já desde do ano 998, San Odilo, abade do Monastério de Cluny, no sul da França, havia acrescentado a celebração de 2 de Novembro, como uma festa para rezar pelas almas dos fiéis que haviam falecido, que foi chamada da Festa dos “Fiéis Mortos”, a qual se difundiu na França e depois alcançou toda a Europa.
O dia 31 de outubro, para nós, “Dia das Bruxas”, ou simplesmente “Halloween”, é um feriado nos Estados Unidos que registra um volume de vendas só superado pelas Festas Natalinas. Adultos e crianças chegam a gastar 2.500 dólares em fantasias, doces e acessórios, para comemorar a noite.
As cabeças de abóboras iluminadas, características desta festividade, procedem do folclore irlandês. Segundo uma história bastante difundida, um homem chamado de Jack, conhecido por beberão e baderneiro, logrou o diabo que o perseguia ao subir em uma árvore. Jack esculpiu uma cruz no tronco da árvore e assim, conseguiu livrar-se do demônio. Mas quando Jack morreu, lhe foi negada a entrada no céu, devido a seus maus atos quando esteve vivo. Mas também foi-lhe negado acessso ao inferno pelo que tinha feito a Satanás. O demônio deu-lhe então uma lanterna para que pudesse caminhar entre as sombras. A vela foi colocada dentro de um nabo e assim sua chama permaneceu duradoura.
Os historiadores contam que inicialmente, os irlandeses, utilizavam o nabo como lanternas, simbolizando as almas dos mortos. Ao que parece, quando imigraram para a América, comprozaram que as abóboras eram maiores e mais convenientes para serem utilizadas como lanternas.
Hoje em dia, Halloween é uma festa de “baixinhos” e “grandinhos”. Todos assistem aos festivais, se disfarçam e trafegam pelas ruas trocando travessuras por doces ou caramelos. Há também festas em ambientes controlados como escolas, shopings center, parques de diversões ou festas privadas.
De qualquer maneira, o espírito original de Halloween é o mesmo. É uma festa de terror com tempeiro de muito bom humor. Todos nós podemos mostrar o nosso aspecto demoníaco brincalhão e desfrutá-lo toda a noite. A população de Salem, em Massachusetts, Estados Unidos, que é a pátria da bruxaria norte-americana, celebra a “Festa dos Espantos” na noite de Halloween, uma fórmula magnífica que acharam para extender sua temporara turística de verão.
Festa de Halloween vem ganhando espaço em terreno brasileiro, muito embora, muitos sejam contra.
Diferente das crianças que adoram brincadeiras, a noite de 31 de outubro para os wiccanos modernos se comemora Samhaim. No Festival de Samhaim, celebrado depois do pôr-do-sol, é tempo de dançarmos em torno da fogueira e enchermos o caldeirão de pedidos para o próximo ano, estilo feiticeiras celtas. É noite de muita animação, principalmente para nós que vivemos no Hemisfério Sul e estamos próximos do Solstício de Verão. As noites aqui são lindas, enluaradas, cheias de magia e luz, propícias para rituais ao ar livre.
Não esqueça, durante o ritual, de direcionar suas orações para Deusa Mãe Anu pedindo abundância e prosperidade para o próximo ano.

Feliz Halloween!

Fonte: Texto pesquisado e desenvolvido por Rosane Volpatto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"As Estrelas são Suas, se Você tiver a Mente, as Mãos e o Coração para Elas" Ray Bradbury

BEM VINDOS!!!!

Comadres...

Uma definição que muito me alegra para comadre é o fato de ela se tornar mais que uma amiga, quase uma irmã. Um laço sanguíneo escolhido não ao acaso, mas na convivência. Passamos dessa forma a vivenciar momentos de descobertas, adaptações e transformações. Nesse despertar Crescemos nos apoiando mutuamente...

Abraço Carinhoso das Comadres Faceiras!!!

O presente é tão grande, não nos afastemos. Não nos afastemos muito, vamos de mãos dadas. Não serei o cantor de uma mulher, de uma história. Não direi suspiros ao anoitecer, a paisagem vista na janela. Não distribuirei entorpecentes ou cartas de suicida. Não fugirei para ilhas nem serei raptado por serafins. O tempo é a minha matéria, o tempo presente, os homens presentes, a vida presente. (Drumond)

Las Comadres Agradecem...

Volte Logo!!!

Mãe TERRA

Loading...

Créditos e Autoria

Os textos aqui postados são pesquisados em livros e na internet. Alguns podemos desconheçer a sua autoria, muito embora buscamos incessantemente descobrir. Nossa intenção em postá-los nesse espaço é de espalhar o conhecimento e bons exemplos...
Acreditamos que essa é a vontade de nossos ancestrais. Afinal, de que adiante um livro guardado em nossa estante?

É envolta nessa aura de desejo em repassar, distribuir, informar, compartilhar e acarinhar os corações, que deixamos além desse desejo, também, nossa eterna gratidão à esses seres Maravilhosos, que nos legaram com pérolas a serem distribuidas...

Que todos sejam triplamente abençoados!!!

NAMASTÊ!